Artista Visual

Suas imagens interpretam afetos da natureza e do ser humano.

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Paisagem imaginária do Cerrado

O Cerrado na primavera me ensina a ter resiliencia e acreditar que a vida estará sempre seguindo seu percurso natural
Acreditar no fluxo da vida, eis um grande desafio para todos nós.

Mista s/ tela
junho de 2017
30 x 70 cm
Visite o ateliê Maloca do Quati
Rua Ricardo Franco, 609
Centro Histórico de Cuiabá - MT

terça-feira, 30 de maio de 2017

Inspirado em Manoel de Barros






Que coisa maravilhosa, exclamar. Que mundo maravilhoso, exclamar.
Como tudo é tão belo, tão cheio de encantos!
Olhar para todos os lados, olhar para as coisas mais pequenas, e descobrir em todas uma razão de beleza.
Agradecer a Deus, que a gente ainda não sabe amar direito,
A harmonia que a gente sente, vê e ouve.
A beleza que a gente vê saindo das rosas, a dor saindo das feridas.
Agradecer tanta coisa que a gente não pode acreditar que esteja acontecendo.
Lembrar de certas passagens. Fechar os olhos para ver no tempo.
Sentir a claridade do sol, espalmar os dedos, cofiar os bigodes,
Lembrar que tinha saído de casa sem destino, que passara num bar, que ouvira uma mazurca,
E agora estava ali, muito perdidamente lembrando coisas bobas de sua pequena vida.
[Manoel de Barros].
🕉

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Inspirado no livro de Manoel de Barros "Matéria de Poesia" de 1970


Tudo aquilo que nos leva a coisa nenhuma
e que você não pode vender no mercado
como, por exemplo, o coração verde

dos pássaros,
serve para poesia

As coisas que os líquenes comem
- sapatos, adjetivos
têm muita importância para os pulmões
da poesia

Tudo aquilo que a nossa
civilização rejeita, pisa e mija em cima,
serve para poesia.

Manoel de Barros em Matéria de Poesia, 1970.

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Ruth Albernaaz is the artistic name of Ruth Albernaz-Silveira. Born in Chapada dos Guimarães – MT, Ruth started to work with art at age 12, creating compositions with elements from the Cerrado (Brazilian savanna) biodiversity on artisanal paper that she manufactures. In her career, she has become a transdisciplinary visual artist, using various media and languages for her compositions in paper, installations, non-objects, canvas paintings, woodcarvings and poems. Ruth is a biologist with a Masters in Environmental Sciences and a PhD in Amazonian Biodiversity from the Bionorte Network of the Ministry of Science, Technology and Innovation - MCTI. Her doctoral research was conducted with the Rikbaktsa indigenous people, focusing on the connections between art, culture and conservation of the Amazon’s biocultural diversity. Portfolio available at: http://ruthalbernaz.blogspot.com.br / https://www.facebook.com/RuthAlbernaaz Atelier: Rua Ricardo Franco, 609 - Centro Histórico de Cuiabá – MT, Brazil.

Mais informações acesse o artigo da revista Sustentabilidade em Debate

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Tsanipê em Ruth Albernaz: competência artística


Tsanipê  em Ruth Albernaz: competência artística
                                                                             Marília Beatriz*
No poema PURIFICAÇÃO DA ESPERA revelei: “Porque a mágica não é do mágico é do olho que vê”. Parece que é exatamente isso que a artista traz em seu desdobrar trabalhos, obras e tessituras. Seus patuás apontam seu largo amor pela cultura indígena e refletem através de cores, nuances e certa energia que deles emana a possibilidade estrutural da arte reconstruir ritos e guardar a identidade. Não é possível revelar em palavras o quanto de impacto sentido nos traços bem desenvolvidos pela arte maior de Ruth Albernaz. Será que ela também carrega a magia para deixar todos encantados? Será que houve o contágio da cultura indígena em traduzir as belezas dos guardiões das florestas? O que importa agora é receber a obra de Ruth Albernaz e contemplar com atenção o que existe de belo, verdade e amor. Eis aqui a competência artística!

                    Início de noite gostosa, em maio de 2016

*Mestre em Comunicação e Semiótica /PUC-SP e ocupante da cadeira Nº 2 da Academia Mato- Grossense de Letras. 
In: Livreto Patuá

A imagem é parte da Exposição Patuá em cartaz no Sesc Casa do Artesão em Cuiabá - MT.

quinta-feira, 9 de junho de 2016